21/07/2009

El Bolígrafo


trecho de um texto de Emiliano Orlando

"Dicen que la NASA ha invertido millones de dólares en fabricar un bolígrafo que pudiese escribir en gravedad cero. Los científicos e ingenieros se pusieron entonces manos a la obra. La meta: desarrollar un bolígrafo para anotar en la Luna, para viajes futuros. El vehículo: el cerebro. Pasaron meses pero los astronautas, los científicos y los millones de dólares de la NASA parecían no dar los resultados esperados. Diseñar un bolígrafo antigravedad era tan difícil como entender la teoría de la gravedad cuántica, entonces, algunos científicos comenzaron a bajar los brazos.

Fue una noche, cuando uno de los científicos encomendados para diseñar el bolígrafo mencionado, se encontraba encerrado en su estudio, rodeado de hojas, polvo de tizas, y recortes de diarios de la gran hazaña humana, una gran hazaña contrapuesta al bochorno del bolígrafo. Ya sus ojos se cerraban cuando escuchó la inocente voz de su hijo menor: "Papi, ¿qué haces?". "Estoy diseñando un bolígrafo para poder escribir en gravedad cero", dijo el padre, que le gustaba hablarle a su hijo con tecnicismos. "¿Y no pueden llevar un lápiz?", respondió el niño."

19/07/2009

Philip K. Dick por Crumb

Mexendo nas minhas pastas achei essa história do Robert Crumb chamada "The Religious Experience of Philip K. Dick". O desenho é incrível e a experiência religiosa é no mínimo interessante.

Pra ver as páginas em página cheia clique nesse link aqui embaixo.

The Religious Experience - Of Philip K. Dick - Por R. Crumb

sequência panaca

Essa é a primeira das experiências em quadrinhos usando esse cilindro na cabeça.
Eu acho que é a que eu mais gosto também.

17/07/2009

uma fantástica entrevista

"the future of the comics is in the past"
Essa frase e outras tantas bem interessantes estão nessa entrevista de rádio tendo os grandes Charles Burns, falando sobre "Black Hole"e Chris Ware, falando de "Jimmy Corrigan".

09/07/2009

Blake & Mortimer & Jacobs




O belga Edgard P. Jacobs trabalhou no estúdio de Hergé, colorindo e produzindo os fundos de algumas histórias de Tintin até 1947, quando se dedica integralmente a seus personagens Blake & Mortimer. É um legado bem particular, quase uma ramificação - um tanto quanto excêntrica - do estilo desenvolvido pelo mesmo Hergé.


Nos oito álbuns desenhados e escritos por ele se enxerga um pouco da figura que ele era, um homem culto, anglófilo e de desenho refinado. Pra mim seu traço "duro" e o modo travado com que conta histórias tem um sabor especial, é como ver um filme policial da década de 40, uma diversão pop e cult ao mesmo tempo.

03/07/2009

"Poder"


Essa história saiu originalmente na Revista ZE, a última e derradeira edição,"década ZE".

Um braço pendurado



Relembrada recentemente para o camarada Diego Medina, menciono aqui a bizarra história de um ladrão que ao tentar roubar as jóias da Nossa Senhora teve seu braço agarrado pela imagem da santa.

O ladrão ficou no altar até chegar o sacristão que tentou, em vão, arrancar o braço da mão da santa. Nada dela largar, tiveram que serrar o braço dele que está até hoje lá, pendurado.
A foto comprova o fato, afinal, verdade ou não alguém teve o braço cortado e pendurado ali.

Fiz essa tira, onde Kafka encontra o braço na Igreja de São Jacó.